Perigoso, mas só para mulheres

Desde o meu primeiro dia em Maceió a frase que eu mais ouvi foi “mas é muito perigoso!”. O motivo do “perigo”: EU – mulher, sozinha, de bicicleta.

É incrível! As pessoas aqui, especialmente os homens, tem uma mania terrível de ao ver uma mulher sozinha falar dos perigos do estado de Alagoas. Há roubos, furtos, sequestros e estupros. As vítimas das narrações são sempre mulheres. Não ouvi, até o momento nenhuma história em que a vítima tenha sido um homem. E olha que já estou aqui há 12 dias!

Portanto, ser mulher sozinha em Alagoas é “muito perigoso”! Agora, imagine ser uma mulher sozinha de bicicleta! Nossa, é como ser um extraterrestre prestes a ser atacados por seres maus e incompreensíveis. Mas, o pior da história vinha quando contava os meus planos de pedalar até São Miguel dos Milagres e depois Maragogi. Pronto, era a morte, meus dias estavam contados.

Tenho certeza que ouvi de no mínimo dez pessoas, todos homens, histórias mirabolantes do quanto era perigoso fazer isso que eu planejava fazer. A conclusão de todos era a mesma: “você vai ser estuprada e se não for, vai ser assaltada”. Aí vinham explicações do tipo “as praias são desertas”, “você não terá como gritar por socorro” etc etc etc… Mesmo no dia em que saí para pedalar um pouco com o pessoal da Bicicletada de Maceió houve os que disseram o tal do “é muito perigoso”. Mas, também houveram os mais sensatos que, simplesmente, se deram ao trabalho de me explicar a melhor opção de trajeto, evitando a rodovia, indo pela praia e encurtando em 40 km a distância pedalada.

Na véspera da viagem, peguei no papo com um segurança e um professor de forró na porta de um restaurante. O professor também pedalava. Quando disse os meus planos para o dia seguinte o homem quase morreu. Até se ofereceu a ir comigo, mas queria sair tarde porque não gosta de acordar cedo. Ele iria de speed, teria que ir o tempo todo pela rodovia, pois o pneu da bike não funcionaria na areia, e ainda me soltou a pergunta: “a sua bike chega a 100 km por hora?!”. Descartei a companhia! Os dois, ainda discutiram qual seria o melhor trajeto para mim e a conclusão da conversa deles – não minha – foi: “coloque a bicicleta no ônibus, pois é muito perigoso!”.

Nessa noite fiquei frustrada, medrosa, arrasada. Liguei para o João quase decidida a desistir do pedal e ir mesmo de ônibus. Mas, ele começou a relembrar comigo de quantos “perigos” já vivemos por viajar em bicicleta: nenhum. De quantas histórias maravilhosas já acumulamos porque viajamos de bike e da experiência única que é conhecer um lugar novo a bordo da magrela. No fim, percebemos que todo o tro lo ló que eu ouvi ao longo da semana não passava do discurso machista de pessoas que não sabem o que é viajar de bicicleta. E mais, que não sabem o que é a Evelyn viajando de bicicleta!

Na manhã seguinte parti. 6h30 da manhã comecei a girar o pedal. Pedalei pela AL-101, com pausa para café da manhã, até a cidade de Barra de Santo Antônio. Lá, entrei para a Ilha da Crôa e segui pela praia. A primeira praia se chamava, por ironia do destino, Carro Quebrado. Era linda, deserta, cercada por falésias e não tinha nenhum carro quebrado.

Germana a caminho da praia de Carro Quebrado, ao fundo

O horário escolhido para o pedal foi em função da maré. Eu sabia que precisava dela baixa no final de Carro Quebrado, quando teria que atravessar empurrando a bike sobre alguns recifes de corais. Não deu outra. No final, lá estavam os recifes e a maré já bem baixa para eu e Germana atravessarmos tranquilamente. Foram uns 500 metros empurrando a bike até voltar para a areia.

Segui sempre em frente e feliz. No caminho via alguns pescadores que não me pareceram nada perigosos. Um deles até me gritou “pedala mais atrás que a areia é mais dura”, pois a bike estava atolando um pouco onde eu estava.

Cheguei!

Às 11h30 e 62 km de pedaladas depois, cheguei em meu destino: São Miguel dos Milagres. A praia mais linda que já vi em minha vida. Cheguei eufórica, sem nenhum arranhão, sem nenhum perigo! Na pousada, todos me receberam perplexos. Um homem, dono de uma pousada chique na praia ao lado, que fazia uma visita à pousada que fiquei, pediu para pedalar na minha bike, conversamos sobre cicloturismo e ele ficou muito animado para se aventurar de bicicleta.

A caminho de Maragogi

Quatro dias depois, pedalei mais 40 km até Maragogi, com direito à travessia do rio Manguaba em uma jangada. Fui beirando as lindas praias de Japaratinga e Maragogi até chegar na pousada. Depois, ao abrir o mapa, percebi que sem querer pedalei ao longo de toda a Costa dos Corais, a segunda maior concentração de recifes de corais do planeta. Por isso, apelidei essa minha aventura de “pedal pela Costa dos Corais”. Fiquei muito satisfeita e depois, conversando com outras pessoas, descobri que Alagoas é um estado bem machista e que  mulher sozinha (e de bicicleta) é vítima de um forte preconceito. Não sei se consegui “provar” alguma coisa com as minhas pedaladas, mas sei que hoje a noite vou lá no restaurante do segurança e do professor de forró só para contar para eles que voltei inteirinha e sem nenhum perigo para Maceió!

Anúncios

30 Responses to Perigoso, mas só para mulheres

  1. Aline Cavalcante disse:

    hahahahahahaha
    é assim no nordeste inteiro
    vc vai ver…
    bjo boa sorte

  2. Cinthia Meire disse:

    É de mulheres com essa força de vontade que o Brasil precisa. Vamos mostrar pra esses homens que nõs “mulheres” tb somos capazes. =)

  3. Matheus disse:

    Vc é inspiração não só pra mulheres, mas pra qualquer um que queira fazer uma cicloviagem e acha “perigoso”. Obrigado pelo belo relato!

  4. Willian Cruz disse:

    Evelyn! Fiz EXATAMENTE o mesmo percurso no final do ano, junto com um tio da Priscila que mora em Maceió, porém no sentido contrário! De Maragogi a Maceió, feito em um único dia, com a mesma preocupação com a maré, passando pelas mesmas praias, atravessando o mesmo rio, pouco mais de 100km. Tirei MUITAS fotos, que ainda estão em rascunho no Multiply porque não terminei de legendar. Logo publico e coloco o link aqui. Bj!

  5. […] O relato todo você encontra aqui. […]

  6. João disse:

    haha que demais!!!

    acabei de conhecer o blog… super legal!!

    se um dia vierem a Fortaleza e precisarem de apoio, contem comigo!

  7. […] aqui estamos. O texto acima, um quase-poema, nada mais é do que o copy-paste-roubado duma postagem incrível da Evelyn, ela sim uma senhora-ciclista-de-carteirinha, contado suas aventuras em Alagoas, onde enfrentou um […]

  8. Gleyse disse:

    Evelyn, tenho a impressão de que as pessoas que tentam nos amendrotar tem lá no fundo uma pontinha de inveja de toda essa liberdade… principalmente os homens!

  9. SÍLVIA disse:

    lindo relato flor! parabens e q suas aventuras por esse “mundo perigoso ” q é o nordeste, continuem!!! boas pedaladas!

  10. Melissa disse:

    Parabéns pela coragem apesar de tentarem te amedrontar! :D

  11. Annie disse:

    Adorei! Sempre tem um pra tentar deixar a gente com medo de fazer as coisas, mas no fim, sempre vale a pena tocar em frente. É daí que vêm as histórias que a gente vai ter pra contar =)
    Parabéns pela coragem e valeu por compartilhar através do blog, descobri ele hoje, vou acompanhar daqui pra frente!

  12. Ed disse:

    Evelyn, parabéns. Vc nÃo sucumbiu ao medo – dos outros! E ó, nÃo é só com mulheres nÃo. Meus amigos acham bicicleta um troço perigosíssimo na cidade (com esse trânsito!) , na trilha (vÃo te matar e nem vão achar o corpo!), e na estrada (quer ser atropelado!). O Nordeste é assim. Um lugar de paisagens maravilhosas e gente idem. Mas um tantinho atrasadas na mentalidade…

  13. Marga disse:

    Guria, chorei lendo tuas palavras, pois penso igual a ti. Tenho 46 anos e sempre sonhei em viajar na bici. Olha, se vieres à Porto Alegre algum dia, me chama pra um café…comassetto.marga@gmail.com um beijo guria

  14. […] E o pernoite será na casa da Evelyn! […]

  15. aradia disse:

    … Você foi pedalar? Vou para lá morar, sozinha e com duas filhas pequenas e lindas…..

  16. mar_ina disse:

    digitei no google: cicloturismo mulher sozinha
    isso pq me preparo para em um mes começar uma viagem de bike como unica e como mulher – mas sei que nunca só. sempre alimentando à luz do bem
    obrigada pelo teu relato. mesmo. me deu muita força. inclusive a frase do teu amigo que até me lembrou um meu.”ele começou a relembrar comigo de quantos “perigos” já vivemos por viajar em bicicleta: nenhum”
    é isso aí. muita luta e correria. e tem gente que diz que machismo nao existe. é foda. e não é só no nordeste nao! sou do rj e aki é assim tb.
    custei a descobrir que a mulher nao é mais fragil, mas sim que a mulher é o maior alvo. e isso é sustentado inclusive pelos que se acomodam em apenas dizer que é perigoso para uma mulher sozinha. e nao se perguntam o pq.
    vem na mao irmão. porra. eu sou viva e quero minha liberdade só.

  17. sergio disse:

    boa tarde Germana, gostei mauito do que escreveu, sou louco para morrar em Macéio, mais as pessoas falam tanta coisa ruim de Macéio, que penso no mundo que vivemos, será que é tao perigoso ao ponto de deixar-mos de ser feliz por medo , estive 2 vezes em Macéio e não entendo como uma cidade tao linda é tao perigosa, ou não é tao perigosa.

    Sergio

  18. Synn disse:

    Wow! Adorei! Acabei de comprar uma bike pra mim. E, ao ler o seu post, fiquei tao empolgada que propus ao meu namorado para fazermos esse mesmo trajeto juntos. A vontade e a bike já temos, basta a folga no trabalho hehehe Parabéns!

  19. Ada disse:

    Que bacana sua história. Fico feliz em ver mulheres, mesmo sozinhas, fazendo o que tem vontade e não se aterrorizando com o tanto de coisas que escutamos por aí.
    Tô prestes a fazer minha primeira viagem solo, dá um medinho, mas com planejamento sei que tudo vai dar certo.
    Boas pedaladas…
    Ada
    blogpedaladas.blogspot.com.br

  20. norma januario codato disse:

    Estou querendo viajar pra maceio sozinha,procuro uma amiga pra fazermos esta viagem juntas!!!

  21. Paulo Fernando disse:

    Estou aqui preparando para fazer esse percurso de bike, que dicas vc pode min dar, será agora no carnaval 2015, e se quiser ir estaremos aqui… Obg. E parabéns…

    • norma disse:

      Oi Paulo, acabei de chegar de Maceió, muito lindo lá, aproveite seu passeio, Ahh se der vá conhecer Lagoa Azeda é bem rustico la, mas a paisagem é de tirar o folego!!! Boa viagem

      • Paulo, a principal dica é: pesquise a tábua das marés e se programe para passar na praia de Carro Quebrado com a maré bem baixa. Se, não, você não vai conseguir atravessar os corais e terá que ir pela rodovia (o que não deve ser muito agradável). Boas pedaladas!

    • Silvio disse:

      Ei Paulo quando vc vai? nós iremos no sábado de carnaval pela manhã. Manda seu contato.

  22. Silvio disse:

    Oi EU e uma amiga iremos fazer essa rota saindo de Maceió até Japaratinga, gostaria de saber como vc fez pra passar da praia para São Miguel dos Milagres, no final da praia de carro quebrado tem alguma balsa ou dá pra passar na maré baixa?

    • Silvio, dá para passar quando a maré está bem baixa. Então, fique de olho na tábua das marés e se programe para estar em Carro Quebrado com a maré bem baixa. Mais para frente, quase chegando em São Miguel dos Milagres, aí você precisará pedir ajuda a um jangadeiro para te atravessar. Mas, é bem tranquilo. Boa viagem.

      • Silvio disse:

        Muito Obrigado e parabéns pela iniciativa de viajar sozinha, mostrei essa pagina a minha amiga para que ela ficasse mais tranquila sobre o trajeto. Você tem alguma pagina ou perfil no facebook? Abraço.

      • Silvio disse:

        Quando vc fez essa viagem?

  23. Elié Paula disse:

    Adorei seu post, me incentivou a ir pra lá pedalando não sabia como, mas ai vi a dica de encurtar o caminho e amei!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: