Algum problema?

Essa semana foi bem atípica. Daquelas que a minha bicicleta ficou encostada em casa quase todos os dias. Como estava em dias que eu tinha que circular por pontos muito distantes da cidade, resolvi fazer tudo de transporte público. No começo foi tudo bastante eficiente, devo assumir. Andar de metrô em São Paulo fora dos horários de pico é uma delícia. Até que fui pega pela hora do rush!

Eram 18h15 e eu entro na estação Santa Cecília. A fila para passar a catraca chegava na escada. Acho que levei uns 15 minutos para conseguir entrar na estação. E o pior nem era isso. O trem já vinha lotado. Ninguém saia de dentro, ninguém de fora conseguia entrar e a plataforma só ia enchendo. Eu ficava imaginando o perigo que seria alguém cair da plataforma com toda aquela movimentação de pessoas chegando e ninguém conseguindo entrar no trem. Resumindo: era muito humilhante.

Como eu não estou acostumada com esse tipo de situação (graças a minha bike!), desisti. Me enfiei no caminho oposto e sai da estação. Sim, joguei R$3 fora, mas não há dinheiro que pague sentir o ventinho lá de fora no rosto novamente.

Resolvi seguir andando até a Avenida Angélica para pegar um ônibus. Um quarteirão para frente, uma pedestre e uma motorista brigavam na faixa. A motorista passou no vermelho e quase acertou a pedestre, que a xingou, que revidou e ainda ameaçou sair do carro para bater nela! “OI?!” A mulher quase mata a pedestre e ainda se sente ofendida? Mais um episódio deprimente na minha tentativa de voltar para casa.

Já na Angélica, a caminho do ponto do ônibus, a cena para acabar de vez com o meu dia: um ônibus atropela um pedestre. Que cai no chão bem machucado. Consciente, mas visivelmente com alguma partes do corpo fraturadas.

Foi a gota d’água. A melhor opção foi seguir a pé mesmo, andando até o cansaço pedir para eu parar e pegar um ônibus já quase no final da Angélica, perto da Dr. Arnaldo. Voltei para a casa mal e pensativa. Afinal de contas: qual é o problema dessa cidade?

Anúncios

2 Responses to Algum problema?

  1. Juliana disse:

    entendo sua frustação/decepção… faço minhas as suas palavras: Qual é o problema dessa cidade? Vou ainda mais a fundo… qual é o problema dessas pessoas?? Guerra civil…

  2. Roberto Luz disse:

    Brasília, a completar 52 anos de idade no final dessa semana, não foge a regra:com traçado urbanístico que dispensa investimentos em ciclovias ou ciclofaixas, tanto as bikes quanto os pedestres são vítimas reais(há muito deixaram de ser potenciais)do estress e do trânsito os quais se alimentam mutuamente.

    A bike é vista como um brinquedo, antes de tudo; logo, não deve compartilhar o espaço, o pedestre é visto como algo movente na hora e no lugar errados. Muitos motoristas tornam os seus carros em predadores da vida urbana.

    Somos a caça na caçamba!!

    Roberto Luz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: