O “problema” de Boa Vista

Apesar de ser uma capital, Boa Vista tem o puro ar de cidade do interior. A cidade tem 266 mil habitantes, é muito arborizada, plana e as pessoas são tranquilas e hospitaleiras. Aos finais de semana, a noite, boa parte dos habitantes se reúne na Praça das Águas, com bares, restaurantes e um espaço amplo para a criançada brincar. Comum também é levarem a televisão para a praça, assim muitos assistem à novela das oito, que aqui passa as sete, coletivamente! Outro hábito interessante é que as pessoas ainda se reúnem nas calçadas durante a noite. É muito comum, quando anoitece, ver os vizinhos com cadeiras de balanço proseando debaixo da lua, das estrelas e do calor intenso que faz aqui. Tem noites que a temperatura fica acima dos 30 graus!

No quesito mobilidade, a capital de Roraima também tem as suas peculiaridades. A primeira é que os carros sempre param para os pedestres atravessarem na faixa. Não há semáforos. Basta colocar o pé na faixa e os carros começam a parar e aguardar. Confesso que no começo fiquei com medo da brincadeira e ficava esperando os carros passarem até conseguir atravessar sem o indício da chegada de algum deles. Depois, peguei o jeito!

O transporte público é pra lá de precário, em compensação há infinitos táxis lotação, que funcionam como uma espécie de transporte público da cidade. Para ir para as outras cidades do interior os táxis lotação também são a melhor pedida. Eles são organizados em cooperativas que funcionam de um jeito bem eficiente e custam apenas um pouco mais que os ônibus. Fomos para Pacaraima, a 220 km de Boa Vista, e pagamos R$25 cada um para uma viagem de duas horas em um carro confortável com ar condicionado. De ônibus a mesma viagem custa R$16 e dura 4h30!

Andar de bicicleta é comum. Muita gente usa a magrela como meio de transporte. Não há ciclovias ou ciclofaixas em nenhuma parte da cidade, mas nem precisa, pois os motoristas respeitam demais os ciclistas. Não buzinam para nós, não fazem ultrapassagens arriscadas e esperam pacientes o momento ideal para uma ultrapassagem. Esses dias fiquei um bom tempo esperando para conseguir passar de bike em um cruzamento. Atrás de mim se formou uma fila grande de carros – para os padrões roraimenses, claro! – que aguardaram sem pressa e sem buzina. Adorei! A impressão negativa fica para as motos, que ao contrário dos carros, não costumam respeitar a faixa de pedestres e menos ainda serem simpáticas com os ciclistas. Será que os motociclistas são problemáticos em todos os cantos do Brasil?!

 

 

Anúncios

8 Responses to O “problema” de Boa Vista

  1. Camila Oliveira disse:

    Não podemos generalizar com os motociclistas, há muitos que respeitam sim e muitas vezes nos protegem no trânsito.

    Fiquei imaginando as cenas das pessoas reunidas à noite, isso me lembrou minha infância, quando brincava na rua depois do jantar. Em alguns bairros isso ainda é costume, mas as crianças estão sempre sob ameaça do comportamento perigoso de alguns motoristas..

    Peruibe, no litoral de SP também é assim como Roraima no que diz respeito à preferência de pedestres e ciclistas. Também fiquei muito surpresa e até sem saber como agir, mas com gentileza e respeito a gente aprende rápido a lidar.

    Bela viagem! Belos relatos.
    Bjs pra vcs!

  2. Juliana disse:

    Ei Evelyn
    Que bom saber notícias :)
    estou acompanhando as aventuras.
    bj

  3. Lou disse:

    Problemão, uma cidade assim.

  4. Bruno Rodrigues disse:

    “Será que os motociclistas são problemáticos em todos os cantos do Brasil?!”

    Motoqueiros são problemáticos realmente. Motociclistas não.

    Assim como há ciclistas e bicicleteiros.

  5. […] pedestres do que em outras regiões (vale dar uma olhada nos relatos da jornalista Evelyn Araripe -https://felizcidadefeliz.wordpress.com/2011/01/19/o-problema-de-boa-vista/, que recentemente deu um giro pela região).Os dados constam no estudo que o Ipea (PDF no […]

  6. Peter Willecke disse:

    O problema é a educação no trânsito como um todo!
    Sabemos dos diretos e deveres que cabe a cada um de nós; mas ” o outro não faz, porque vou fazer!” O problema é cultural!. O bom exemplo de gentileza no trânsito já ajudaria bastante!

  7. Obrigado pela informações quanto ao trecho Boa Vista – Paracaima RR – 220km – ou onibus 4:30h a R$16,00… fuiiiiiiiii….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: