Começando a pedalar? Chame um Bike Anjo!

A rotina de andar de carro ou de transporte público numa cidade como São Paulo pode trazer desconforto, estresse e cabelo branco, mas para muitos também tem despertado a vontade de tirar a bicicleta da garagem! E cada vez mais tenho percebido que a melhor forma de se locomover nessa cidade é de bicicleta. Seja pelo custo, pelo tempo, pelo vento agradável que se sente, ou até mesmo pra encarar essas enchentes!! Mas não tiro a razão de quem sente medo de começar a pedalar em São Paulo, já que, muitas vezes, os motoristas, motoqueiros e asfaltos não colaboram.
Então o que fazer nessas horas? A resposta é fácil: chame um Bike Anjo!

Se quer entrar no mundo da bicicleta, uma coisa que você pode contar é com os ciclistas. E foi o que a Maria vivenciou. Maria Piza trabalha comigo no Hub SP e por saber que eu andava de bicicleta pediu umas dicas de como começar. Como todo bom ciclista, dei a melhor dica: me candidatei a ser bike anjo dela!

Como eu moro depois da Maria na Zona Sul, combinamos de irmos junto para o trabalho para vivenciar essa experiência. Eu na primeira “aula” como bike anjo, e ela nas primeiras pedaladas. Então vamos nessa…

Conheça o projeto Bike Anjo: bikeanjo.wordpress.com

Assim começamos o pedal. O trajeto era básico, porém (a princípio) assustador: pegar a Avenida Domingo de Moraes e em seguida atravessar a Avenida Paulista toda até a Rua Bela Cintra (rua do Hub). Conta aí, Maria! Como é pedalar na Paulista pela primeira vez:

E assim seguimos numa cadência agradável pela Paulista, com roncos altos dos motores, mas sem nenhuma buzina! (Parece que os motoristas que passam por lá se acostumaram com a ciclofaixa informal). Não deu nem tempo de suar e já estavamos no final da Paulista, na frente de muitos carros! Deu tempo até pra uma paradinha.

Deu tempo até de uma parada para um suco!

Na retomada do pedal, Maria, já se sentindo mais segura, toca o pedal na frente!
Observação: andar muito próximo da calçada (dos bordos da pista) é bem perigoso. O ideal (para a segurança e por lei) é manter uma certa distância dos bordos da pista (atenção: não necessariamente no lado direito!).

Se acostumando com os ares (e asfalto) de São Paulo

E rapidinho já estavamos lá! Meia horinha de pedal, contando a parada pro suco. Mesmo tempo que de metrô e, provavelmente, mais rápido que de carro ou ônibus (além de ser mais barato).

Chegamos!!!

Chegando no Hub, Maria ficou super empolgada e contou pra meio mundo a experiência pela qual havia passado. Mal sabia ela o que lhe esperava… Nem eu! Péra, péra, deixa eu explicar… O fato é que, no mundo da Bicicletada, tudo é razão pra se encontrar e comemorar, mesmo não sabendo como vamos fazer isso.

Com o nascimento da nova bicicleta da Aline, participante aracajuense da Bicicletada, ela chamou alguns cicloamigos para batizá-la na Praça do Ciclista. Convidei a Maria e o Zé Bueno (também ciclista do Hub) para irmos batizar as bikes deles lá. Topadíssimo!

Encontro para o batizado das magrelas

Famoso atraso para as pessoas chegarem, mas o que rendeu em mais aulas grátis pra Maria!

Aproveitando o encontro para umas aulinhas extras

Até que enfim chegou todo mundo! Vamos batizar essas magrelas (me refiro as bikes!)!!

Batizado da Lilla, Benedito e Baiki (da esq. pra dir.)

Muitas risadas, conversas e pedaladas na praça, até que ficou o grande dilema. Maria precisava ir embora pra casa e a galera tinha combinado de ir pro bar. Como fica? Como disse, no mundo da bicicleta, pode contar com os ciclistas! Eu e mais dois amigos nos dispomos a escoltar a Maria pra sua casa. De repente vejo mais uma topando, depois outro, e mais outra… Quando vi, estavamos todos escoltando a recém-ciclista Maria e sua bike recém-batizada Lilla em plena Paulista! Neste momento me dei conta do que é o incrível mundo dos ciclistas… Muitas vezes nem nos conhecemos, nem sabemos nossos nomes, temos gostos e visões diferentes. Mas basta montar em uma bicicleta e vivenciamos as mais puras e fiéis amizades. Agradeço a todos os ciclistas que sempre me proporciona um jeitinho diferente de enxergar o mundo.

Ah! E é claro que depois da escolta rolou a balada no bar-amigo-do-ciclista do Pedrão.
Todas as fotos da experiência Bike Anjo, batizado das bikes e balada AQUI!

Precisando de companhia? Chame os amigos ciclistas!!

Anúncios

32 Responses to Começando a pedalar? Chame um Bike Anjo!

  1. parabens pra maria!! mais uma mulher sobresua magrela pra conquistar o mundo (ou seu mundo novo).. muito bom conhecer todos vcs, obrigada JP por proporcionar isso pra eles e pra nos…
    nao me esqueco do sorriso estampado no rosto da maria e a emocao de ter sido escoltada na paulista por tanta gente
    eh magico
    eh encantador
    eh lindo
    mas nao tem palavras que expliquem o que sentimos
    ou vc sente ou nao sente
    beijos!

  2. Gunnar disse:

    Ciclista é parceiro, SEMPRE! Lindão o relato, parabéns.

  3. Lilian disse:

    To precisando tomar coragem e sair de casa pruma pedalada mais longa, em locais movimentados e não só no bairro. Ainda tenho medo.

    • Olá Lilian,

      É justamente nessa linha que surgiu os bike anjos. Vale a pena você procurar um.
      Posso te ajudar a achar um! Qual é a sua origem e destino e seus horários?
      O medo é comum, até para os experientes, mas ter a experiência é o mais válido!
      Se quiser, tem Bicicletada nessa Sexta. É um ótimo começo para treinar (www.bicicletada.org).

      Um abraço,

      JP Amaral

  4. greenmobility disse:

    Parabéns JP!!!

    Eu, como ciclista e coroneiro eventual mas Pedreste convicto, mando um abraço para os dois.

  5. José Bueno disse:

    Pedalar na Paulista não tem preço.
    Quando cheguei em São Paulo morava perto da estação Ana Rosa e estudava na Bela Cintra, a mesmíssima rota que fizemos escoltando a Maria e sua Lilla. Eu fazia o trajeto de ônibus ou a pé por que ainda nao tinha o Metrô nos anos 70.
    Pedalar em 2010 na av. Paulista vazia ou congestionada, de dia ou de noite, com sol ou com chuva é sempre especial para mim. Melhor ainda cercado de ciclistas apaixonados e felizes como a Aline e o Benedito.
    João, o blog tá demais.
    Maria, seja bem-vinda!!!

  6. Pedro M disse:

    Muito legal o relato!
    Estou recomeçando o pedal urbano em Brasília (há alguns anos costumava ir à universidade pedalando, mas não era exatamente uma rotina) e vejo que, às vezes, tudo o que precisamos é de segurança e amizade.
    A “cara” do trânsito aqui em BSB é bem diferente de Sampa, mas acho que também precisamos de mais bicis e menos carros. Aliás, vocês têm mais contato com o pessoal da Bicicletada de BSB? O site deles não é atualizado desde julho! Mais do que um bike-anjo, preciso de um bike-incentivador, hehehe.

    Um abraço.

  7. Aleba disse:

    Ficou muito bom o texto !! Parabens JP !Parabens p/
    Maria tb ,pela atitude !
    E viva as Cicloamizades!

  8. gatti disse:

    olha tem foto minha aiiii!
    é isso ai pessoal, carro causa dependencia, MAS TEM CURA!

    va de bike

    gatti!

  9. @diegofavero disse:

    Poxa que bacana! Sempre tive vontade de vir trabalhar de bike. Hoje pela primeira vez, deixei o carro em casa e vim a pé! Moro na vila Mariana e faria mais ou menos o mesmo caminho que ela fez, trabalho na Consolação.
    Vou procurar comprar uma bike e aderir ir ao trabalho assim, também. Parabéns!

  10. @diegofavero disse:

    Agora fui olhar o que é o The Hub. Achei sensacional, mas não entendi muito bem como funciona. Por favor, mande no meu email! Obrigado

  11. Umcarroamenos disse:

    Com iniciantes, considere a opção de ir pela São Carlos do Pinhal ao invés da Paulista. Se não tudo, o que custaria algumas subidinhas, ao menos uma parte.
    Abraço e parabéns pela iniciativa!

    • Olá,

      Sim, já estamos buscando alternativas para dias atípicos.
      Hoje mesmo fizemos o caminho pela Rua Cubatão, pegando umas quebradas e caindo na Alameda Jaú. Fomos surpreendidos com uma mega ladeira e acabamos caindo na Av. Paulista mesmo – tava tranquila.
      Outro dia vamos testar o caminho pelo outro lado, pela Rua Cincinato Braga. Veremos…

  12. marina disse:

    Sensacional!!!

    Tenho mó orgulho de vc JP!

    Que Deus continue te usando como anjinho.

    Queijos

  13. Oi JP, oi Evelyn!

    Lindo o relato! Uma das coisas mais bacanas de andar de bicicleta é sentir essa proximidade das pessoas, sempre tem um ciclista querendo ajudar e mais gostoso ainda é quando a gente consegue ajudar também. Tenho tido umas “experiências angelicais” e é muito legal perceber que os receios, as dúvidas do pessoal que começa são aqueles mesmos que a gente tinha, ver o progresso e principalmente as descobertas dos novos ciclistas é incrível! Ver alguém redescobrir as distâncias (sim, de bike tudo fica mais perto mesmo), que não precisa ser atleta pra pedalar (sim, você já pedalou 30 km hoje, nem percebeu né?)e ver estampado aquele sorrisão no rosto da pessoa é inexplicável!

    Parabéns a você e a Maria, afinal, é essa mudança de comportamento, este experimentar que muitas vezes falta! E experimentar não precisa ser arriscar, basta chamar um bike anjo!

    bjão!

    • Putz Camila!
      Você entendeu direitinho a história, hein?!
      Os comentaristas do blog também devem ganhar seu mérito. Lindo o comentário! rs
      E por fim, pedalar é isso: é descobrir outra cidade, onde tudo fica mais perto, o cansaço diminui, e a rotina fica mais divertida.
      Valeu!

      JP Amaral

  14. Aqui em Salvador tenho a Escola Anjos de Bike. Dou aulas e procedimentos sobre pedal seguro. A missão é treinar as pessoas para que possam sair no trânsito sem mêdo, pois quando você adiquiri conheciementos a confiança o leva a qualquer lugar, lógico com planejamento e visualização dos risco para evitar acidentes. Além disso somos treinados em primeiros socorros, prontos a ajudar nos acidentes de trânsito até a chegada da SAMU 192 ou SALVAR 193. Parabéns aos Anjos pela iniciativa, vocês estão protegidos por Nossa Senhora que é a rainha dos Anjos, cujo lema é: Verdade, Humildade e Simplicidade.
    Pratique saúde o seu coração agradeçe.
    Visualizar o risco evita o acidente.
    Gentileza se paga com gentileza.
    Anjos de Bike Tio Lú

    • Tio Lú!
      Sensacional sua iniciativa! Como não havia conhecido a Escola Anjos da Bike antes??
      Bom trocarmos figurinhas sobre ações que de um jeito ou de outro tentam aproximar as pessoas das ruas por meio da bicicleta.
      Parabéns e um abraço!

      JP e Evelyn

    • Clément disse:

      Oi Lu, procurei seu contato, por favor, entre em contato quando puder para participar da Semana da Mobilidade com o coletivo Mobicidade: clement@mobicidade. Abraço!

  15. […] aqui – Carro, veículo do passado – clique aqui –  Começando a pedalar? Bici-anjo – clique aqui – Vida Simples – clique aqui – Identidade – clique aqui – Para morrer de poluição com […]

  16. […] compartilhar isso eu fui descobrir que existe o bike anjo, uma pessoa mais escolada que eu no ir e vir sobre duas rodas e que pode me ajudar a descobrir […]

  17. Thais disse:

    Sensacional o post. Mas taí uma novidade pra mim: batismo de bikes. Não sabia que existiam. Como é isso?
    Tenho me aventurado um pouco mais de bike pelas ruas de SP e sou uma pessoa muito mais feliz agora. =)

    Beijo pra todos

  18. wanezza disse:

    Oi, pessoal, td bem??
    acabei de comprar uma bike. A empolgação para voltar a pedalar era tanta (a última vez que fiz isso tinha uns 17 anos e morava no interior) que acabei esquecendo do medo. A vida sobre rodas em SP é muito diferente. Além disso estou bemmmm fora de forma. Me arrisquei a dar uma voltinha no final de semana e quase morri,rsrs. Será que consigo vencer esses dois GRANDES obstáculos? o trânsito e a falta de fôlego? Alguma dica?
    abs
    wanezza

    • Olá Wanezza!

      Bom, o primeiro passo você já deu: comprar a bike. Agora é se envolver com a galera que pedala. A vida de bike em SP é difícil no começo, até você pegar a manha. É como aprender a andar de bicicleta de novo.
      Minha primeira dica é participar de passeios em grupo ou de rotas simples de bicicleta. Um passeio de grupo que você vai curtir muito e não precisa ter preparo é a Bicicletada (www.bicicletada.org), e uma rota legal que você pode fazer é a Ciclofaixa de Domingo (http://www.ciclofaixa.com.br/).
      E, claro, chame um bike anjo!
      Obrigado pelo comentário.

      Abraços,

      João Paulo Amaral
      Felizcidadefeliz

  19. Leticia Sodré disse:

    Oi! Como eu faço pra chamar um bike anjo?

  20. bissolijr disse:

    maravilha de iniciativa. quando será que este país dará chance às magrelas (refiro-me também às bicicletas)?
    não há nada mais prazenteiro do que andar de bike, não é?

  21. MARCELO DINIZ disse:

    ola! caros irmaos do pedal sou de minas gerais cidade de curvelo onde temos nosso clube de pedal os amantes da magrela somos facinados por bikes parabens! ao amigos da bike anjo (visite nosso site http://www.amantesda magrela.com.br)abraços

  22. Mayla Tauany disse:

    Boa tarde. Meu nome é Mayla, estou cursando o 3º ano da faculdade de Jornalismo e, fazendo um trabalho sobre Bicicletários e Ciclistas, o Vinicius Costa (repórter da rede Record) me passou o contato de vocês para que pudessem me ajudar. Pediu para que eu procurasse Carlos Aranha. Vocês poderiam nos ajudar? Agradeço desde ja e aguardo ansiosamente uma resposta!

  23. Arnaldo Nogueira disse:

    Boa noite Bike Anjos sou de Olinda-Pe e amante da bike,achei legal a idéia de voçes em poder ajudar quem gosta de bike e tem medo de andar no trâsito,valeu visite nosso blog APS(amigos para sempre)nosso grupo do pedal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: